Quando Jesus Cristo começou seu trabalho na terra, ele escolheu apóstolos para ajuda-lo. Esses apóstolos continuaram a dirigir a Igreja depois de Sua ressurreição. Eles serviram diligentemente como missionários, saindo pelo mundo para ensinar o evangelho. O próprio Jesus Cristo trabalhou pregando o evangelho para todas as pessoas que cruzaram seu caminho. Algumas vezes as pessoas decidiam procura-Lo, mas outras vezes Ele as procurou. Os apóstolos e Cristo sabiam que possuíam uma mensagem que poderia mudar vidas se as pessoas apenas a ouvissem, por isso tinham a coragem de se aproximar das pessoas e compartilhar sua mensagem. Quando amamos o próximo desejamos que tenham tudo àquilo de que precisam para fazê-los felizes e para os Cristãos, isso inclui o evangelho. De fato, para os Cristãos, crer em Jesus Cristo é fundamental para obter a verdadeira felicidade. O trabalho missionário é um ato de amor.

Por essa razão, os Mórmons mantem um grande programa missionário. Eles seguem o conselho do Salvador de compartilhar Sua mensagem com o mundo.

“Ide, pois, e ensinai todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo: Ensinando-os a observar tudo quanto vos tenho mandado; e eis que estou convosco todos os dias, até o fim do mundo. Amém”

Thomas Monson, o profeta Mórmon, ama falar sobre o trabalho missionário. Embora não tenha servido uma missão quando jovem porque ele estava na Marinha, ele serviu como presidente de missão quando tinha apenas trinta e um anos de idade, uma idade incomum para um servir nesse chamado. Ele, sua esposa, e seus filhos viveram em Toronto, Canadá por muitos anos, supervisionando o trabalho missionário naquele país. Desde aquela época, Presidente Monson visitou a maioria das missões da igreja e serviu em muitas posições no Departamento Missionário, e como resultado, possui mais conhecimento do trabalho missionário por meio de seu serviço na igreja do que qualquer outro líder atual ou antigo da igreja.

Thomas S. Monson ama tanto o trabalho missionário que esta sempre falando a respeito do assunto.

Existem muitas maneiras que uma pessoa pode servir como um missionário para o Senhor. Um jovem pode, como parte do seu serviço no sacerdócio (os Mórmons conferem o sacerdócio a homens leigos dignos a partir dos doze anos de idade) pregar o evangelho em tempo integral durante dois anos como missionário em qualquer parte do mundo. Ele paga por todas as suas despesas e vive sob regras bastante restritas durante o tempo de serviço. É um tempo para desenvolver autodisciplina e um forte testemunho, mas o mais importante é um tempo para ensinar o próximo sobre Jesus Cristo. Um jovem que tenha realizado corretamente a missão retornara a casa amando a cultura na qual serviu, possivelmente uma nova língua, a capacidade de ser bem sucedido em tudo aquilo em que se aplicar, e um poderoso testemunho de Jesus Cristo e as bênçãos que vem aos que servem ao Senhor.

As mulheres também podem servir longe de casa, quando completam 21 anos de idade e servem por dezoito meses. As mulheres não portam o sacerdócio e por isso não tem a responsabilidade direta de servir, aquelas que o fazem frequentemente acabam ensinando as pessoas de uma maneira que os homens jamais conseguiriam.

Casais idosos geralmente servem juntos depois que se aposentam, assim como viúvos ou viúvas aposentadas. Eles também servem longe de casa e custeiam todas as despesas.

Algumas pessoas servem próximo de casa e por um período parcial. Esses missionários são chamados de missionários de ala e qualquer adulto pode servir uma missão em sua ala se é digno e for devidamente chamado e designado.

Finalmente, a igreja encoraja que todos os membros sejam missionários. Sem precisar de uma designação especifica, cada Mórmon pode compartilhar o evangelho através de suas ações e palavras com as pessoas de sua vida cotidiana.

“Pedro e João, os pescadores que se tornaram Apóstolos, foram advertidos pelas autoridades a não pregaram sobre Jesus Cristo. A resposta deles foi firme: “se é justo diante de Deus ouvir-vos mais do que a Deus, julgai vos. Pois não podemos de deixar falar das coisas que temos visto e ouvido (Atos 4:19-20)

Paulo, o Apóstolo, o autentico testificador da verdade, estava falando para todos nós, membros e missionários, quando ele aconselhou seu querido amigo Timóteo: “Sê o exemplo dos fiéis, na palavra, no trato, na caridade, no espírito, na fé, na pureza ” (1 Tim. 4:12).

Elder Delbert L. Stapley, que serviu como um membro do Quórum dos Doze alguns anos atrás, citou Paulo em sua epistola aos Romanos: “Não me envergonho do Evangelho de Cristo: pois é o poder de Deus para a Salvação” (Romanos 1:16). Então Elder Stapley adicionou: “Se não nos envergonharmos do evangelho de Cristo, então não teremos vergonha de vive-lo. E se não tivermos vergonha de vive-lo, então não nos envergonharemos de compartilha-lo” (Thomas S. Monson, “That All May Hear“, New Era, May 1996, 4).

Thomas S. Monson encorajou todos os rapazes, moças ou idosos que desejam servir uma missão. Ele ensina que será uma experiência que mudara suas vidas. Que melhor maneira podemos encontrar de aprender a amar o Salvador do que passar dois anos de nossas vidas servindo-O e ensinando a Seu respeito? Como resultado, ele encoraja os jovens a seriamente se prepararem para uma missão. Desenvolvendo agora um testemunho e vivendo os padrões da missão um jovem pode aproveita-la muito mais.

Os missionários são chamados para ensinar o evangelho de Jesus Cristo. Thomas Monson ensinou isto aos missionários:

O que é o evangelho? É a mensagem que nós temos uma mensagem que declara que um anjo voou no meio do céu e que o evangelho de Jesus Cristo foi restaurado. Se nos lembrarmos disso e dos outros elementos que missionários possuem, poderemos ser eficazes. Nessa mensagem o Livro de Mórmon, que é parte integrante de toda biblioteca missionária, ocupa um lugar único naquilo que ensina.

O Livro de Mórmon, a verdadeira natureza da Divindade – o mundo esta faminto por esta mensagem. É parte do que missionários levará para as pessoas.

Outro elemento que achei muito importante é que a Igreja é baseada em um alicerce de apóstolos e profetas, com Jesus Cristo como pedra da esquina (Efésios 2:20). E enfatizamos que existe um profeta “vivo” atualmente. Testifico que o Presidente Hinckley é o profeta vivo – o profeta, vidente e revelador da Igreja.

Se eu pudesse indicar qual parte do evangelho, exerce maior impacto na maioria das pessoas e que tem o potencial de penetrar mais profundamente em seus corações e suas almas e movê-los para a ação, este é o plano de salvação, ou o plano do nosso Pai Celestial, de onde viemos, por que estamos aqui, para onde vamos quando deixarmos a mortalidade.

Eu pessoalmente acredito que a pedra de tropeço para os investigadores não é a Palavra de Sabedoria. Não é a observância do dia do Senhor. É o testemunho de que Joseph Smith é um profeta de Deus. É muito importante que declaremos essa mensagem. A mensagem é divina. Lembrem-se disso. (Thomas S. Monson, “The Five M’s of Missionary Work”, New Era, Mar. 2007, 42–45).

Copyright © 2018 Thomas S. Monson. Todos os direitos reservados.
Esta página web não pertence nem é afiliada a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (algumas vezes também chamada de Igreja Mórmon ou Igreja SUD). Os pontos de vista expressos pelos usuários são de responsabilidade dos mesmos e não representam necessariamente a posição da Igreja. Para acessar os sites oficiais da Igreja visite: LDS.org ou Mormon.org.

Pin It on Pinterest

Share This

Share This

Share this post with your friends!