Nos últimos dias a imprensa tem noticiado a iminente renuncia do Papa Bento XVI de seu comando da Igreja Católica que acontecera no dia 28 de fevereiro de 2013. O pontífice de 85 anos de idade anunciou sua decisão em latim na segunda feira de manhã, dia 11 de fevereiro de 2013, durante uma reunião com os cardeais no Vaticano.

De acordo com a Associated Press, as razões para a sua renuncia, depois de apenas 8 anos no pontificado, foi de que ele sente que esta “simplesmente muito doente para continuar”. Ele enfatizou que cumprir os deveres de um papa – o líder de mais de um bilhão de Católicos Romanos em todo o mundo – requer “tanto força espiritual quanto mental”. Ele fez a seguinte declaração:

“Depois de ter examinado repetidamente a minha consciência diante de Deus, cheguei à certeza de que as minhas forças, devido à idade avançada, já não são idôneas para exercer adequadamente o ministério petrino”, ele disse aos cardeais. Estou bem consciente de que este ministério, pela sua essência espiritual, deve ser cumprido não só com as obras e com as palavras, mas também e igualmente sofrendo e rezando.
Todavia, no mundo de hoje, sujeito a rápidas mudanças e agitado por questões de grande relevância para a vida da fé, para governar a barca de São Pedro e anunciar o Evangelho, é necessário também o vigor quer do corpo quer do espírito; vigor este, que, nos últimos meses, foi diminuindo de tal modo em mim que tenho de reconhecer a minha incapacidade para administrar bem o ministério que me foi confiado”.

Ele se tornou assim o primeiro pontífice a renunciar em quase 600 anos, embora os papas possam renunciar, a lei da igreja declara que ela somente pode acontecer se realizada “livremente e comunicada apropriadamente”. Sua decisão em renunciar, entretanto, deixa espaço para que o conclave eleja um novo papa nos meados de marco, já que o tempo tradicional de luto que geralmente ocorre depois da morte de um papa, não precisa ser observado.

Todos os cardeais com menos de 80 anos de idade podem votar no conclave, a reunião secreta realizada na Capela Sistina onde os cardeais elegem o novo papa. A tradição diz que os votos devem ser queimados depois de cada rodada de votação; se uma fumaça preta sair da chaminé significa que nenhum papa foi escolhido, enquanto se for uma fumaça branca significa que um papa foi eleito.

“Se um papa claramente não possui mais as condições físicas, psicológicas e espirituais para lidar com as obrigações do chamado, então ele tem o direito, e sob algumas circuntancias, também a obrigação de renunciar” disse Bento.

A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (mais conhecida como Igreja Mórmon) também possui um líder eclesiastico que os membros reverenciam como Profeta, Vidente e Revelador. A ideia de que existe um profeta vivo hoje, e especialmente entre esses desolados e turbulentos tempos em que vivemos, não deveria ser um conceito novo para ninguém. As escrituras nos ensinam claramente que Deus, nosso Pai Celestial, e perfeito é não muda. Ele e o mesmo ontem, hoje e para sempre.

Deus sempre teve profetas nesta terra. Através da historia, Ele escolheu, profetas como Noé, Abraão, Moisés, e outros, para ensinar e pregar o evangelho, e para guiar a Sua Igreja. Na Bíblia Sagrada, no Velho Testamento, mais precisamente no livro de Amos, que também foi um profeta de Deus, estão registradas as seguintes palavras: “Certamente o Senhor Deus não fará coisa alguma sem antes revelar o Seu segredo aos Seus servos, os profetas” (Amos 3:7). Se Deus chamou profetas nos tempos antigos, não faria sentido que Ele chamasse um homem de Deus para ser o Seu profeta – Sua boca na terra – em nossa época?

Joseph Smith (1805 – 1844) foi o primeiro profeta de nossa época. Thomas S. Monson, o profeta atual e presidente da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias tem 85 anos de idade. Ele tem a mesma idade do Papa Bento XVI. Ele tem sido o Profeta da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias pelos últimos cinco anos, desde 3 de fevereiro de 2008, depois do falecimento do ex-profeta e presidente Gordon B. Hinckley. Ele possui dois conselheiros – Henry B. Eyring e Dieter F. Uchtdorf. Juntos eles compõem a Primeira Presidência da Igreja. Assim como Deus guiou os filhos de Israel para fora da escravidão e servidão para uma terra melhor através de Seu profeta, Moisés, hoje Ele lidera Seus filhos para uma vida mais pacifica e feliz onde podem escolher seguir Seu profeta vivo.

thomas-s-monson-mormon-profetaO jornal Church News, publicou uma mensagem online do Presidente Thomas S. Monson em 1 de fevereiro de 2013, onde ele fala sobre seus cinco anos como Profeta e Presidente da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Em sua mensagem ele também enfatiza a necessidade dos membros irem “resgatar” o próximo. A seguir podemos ler um trecho da sua mensagem:

Este ano eu completo 50 anos desde que fui chamado para servir no Quorum dos Doze Apóstolos. Eu tinha 36 anos de idade quando recebi aquele chamado. No mês de agosto eu celebrei meu 85° aniversário. Alguns dos membros mais antigos do Quorum dos Doze são mais velhos do que eu. Entretanto, juntamos nossos vozes, com as do Rei Benjamim, que disse, como registrado no segundo capitulo do livro de Mosias: “Mas sou como vós mesmos, sujeito a toda sorte de enfermidades do corpo e da mente; contudo fui escolhido por este povo e consagrado por meu pai; e a mão do Senhor permitiu que eu fosse governante e rei deste povo; e fui guardado e preservado por seu incomparável poder para servir-vos com todo o poder, mente e força que o Senhor me concedeu”. A despeito dos problemas de saúde que podemos enfrentar, a despeito de qualquer enfraquecimento do corpo ou da mente, servimos dando o máximo de nos mesmos. Eu lhes asseguro que a Igreja esta nas mãos do Senhor. O sistema estabelecido pelo Conselho da Primeira Presidência e do Quorum dos Doze Apóstolos assegura que ela sempre estará nas mãos de Deus, e por isso, não há nada a temer ou se preocupar. Nosso Salvador, Jesus Cristo, a quem seguimos, a quem adoramos, e a quem servimos, estará sempre no comando.

O cabeça de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias e o Senhor Jesus Cristo. Foi Ele que chamou Thomas S. Monson para ser Seu profeta nos dias de hoje. E um chamado do qual não será desobrigado ate o momento de sua morte, assim como aqueles que serviram como profetas de Deus antes dele. Sabendo da seriedade do manto que foi colocado sobre ele, pelo próprio Senhor, Presidente Monson continua a procura-Lo como fonte de fortalecimento e para ser capaz de fazer aquilo que foi chamado para fazer. A ideia de renuncia de seu chamado e algo completamente absurdo, a despeito das circunstâncias da vida. Ele esta nas sendas do Senhor e determinado a fazer a vontade do Mestre.

Recursos Adicionais

Saiba mais sobre o que o Profeta e Presidente Thomas S. Monson tem ensinado clicando aqui.

Este artigo foi escrito por Keith L. Brown

Copyright © 2017 Thomas S. Monson. Todos os direitos reservados.
Esta página web não pertence nem é afiliada a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (algumas vezes também chamada de Igreja Mórmon ou Igreja SUD). Os pontos de vista expressos pelos usuários são de responsabilidade dos mesmos e não representam necessariamente a posição da Igreja. Para acessar os sites oficiais da Igreja visite: LDS.org ou Mormon.org.

Pin It on Pinterest

Share This

Share This

Share this post with your friends!