A palavra “profeta” é mencionada em 293 versículos do Velho Testamento e em 154 versículos do Novo Testamento. É claramente que esse era um tópico importante para os escritores da Bíblia. Não poderemos abordar todos esses versículos nesse artigo, mas daremos uma olhada em alguns deles. A maioria das pessoas acredita que os profetas se encaixavam bem no contexto do Velho Testamento, e que Jesus era predestinado a ser o ultimo profeta. É importante considerar, antes que decidamos abandonar qualquer possibilidade de profetas modernos, o que a Bíblia ensina e mais importante que essa não é uma decisão que pode ser tomada pelo homem.

No Velho Testamento, vemos muitos exemplos de pessoas que se recusam a reconhecer um profeta de Deus. Deus falou através de Noé, mas o povo escolheu ignora-lo, preferindo acreditar que ele não era um profeta. Talvez eles também acharam que os profetas eram fora de moda e que não precisavam mais deles. E terríveis foram as consequências.

Através da historia da Bíblia, vemos o quão frequentemente as pessoas ignoraram ou não reconheceram a presença de um profeta. Quando os profetas foram ignorados e não eram obedecidos o povo sofria. Aqueles que permitiram que seus corações fossem tocados pelo espirito e seguiram suas impressões espirituais e seguiram o profeta encontraram segurança e paz. Em cada era, houvessem ou não profetas na terra, era da responsabilidade de cada individuo de descobrir quem era o profeta e segui-lo. Isso é possível através da oração e do estudo. Deus nos prometeu responder nossas orações se pedirmos, e Ele sempre cumprem Suas promessas.

Embora muitas pessoas hoje se negam a acreditar que Deus escolhera novamente um profeta, a Bíblia é muito clara a respeito do assunto:

Seguramente o Senhor Deus não fara coisa alguma sem antes revelar o Seu segredo a Seus servos os profetas (Amos 3:7). Até mais importante, Paulo, falando sobre a ressurreição e morte de Jesus Cristo ensinou:

Edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, de que Jesus Cristo é a principal pedra da esquina (Efésios 2:20).

Paulo assegurou aos membros da verdadeira igreja que esta era edificada no fundamento dos apóstolos e profetas da qual Jesus Cristo é a principal pedra de esquina, as maiorias das igrejas modernas preferiram ignorar seu ensinamento, mesmo Paulo dizendo que era importante.

Isso deixa muito claro que o método escolhido por Deus para se comunicar com Seus filhos na terra é através de um profeta. Por toda a Bíblia Ele falou por meio de profetas, começando com Adão, o primeiro homem. De tempos em tempos, o povo se recusou a escutar esses profetas e eles foram retirados dentre eles. Esta é a escolha de um povo desobediente e de mente fechada. Depois de muito tempo, Deus chamou um novo profeta e concedeu a um grupo de pessoas a chance de uma vez mais receber conselhos dos céus.

“é importante compreender em primeiro lugar que Deus nunca selou os céus; os homens o fizeram. Foi o homem que proclamou que não necessitava de mais revelações, que Deus havia dito tudo o que deveria dizer. Que absurda presunção o homem dizer a Deus que Ele não pode mais falar com Seus Filhos!” (Ballard, M. Russell. “The Articles of Faith.” Nossa Busca da Felicidade: um convite para compreender a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Salt Lake City, Utah: Deseret Book Co., 1993. 96. Print.)

Já que a Bíblia não estabelece que Deus mudou de idéia a respeito dos profetas, dizer que Deus não pode mais chama-los e recusar-se a crer em novos é dizer a Deus como realizar Seu trabalho. Somente Deus pode decidir se Ele precisa de outro profeta ou não. Elder Ballard, no livro mencionado acima, expressou sua gratidão pelo amor que Deus dispensa a Seus filhos, nos tempos bíblicos assim como nos nossos dias.

Se estudarmos o que aconteceu depois da morte de Jesus, veremos que a igreja continuou a funcionar. Os apóstolos possuíam um líder e este líder era o novo profeta. Os vemos agindo com autoridade, anunciando a doutrina e praticas… Sendo profetas. Muitas pessoas param de ler a Bíblia após a ressureição, vale pena observar como os apóstolos agiram e as decisões que tomaram a medida que continuaram a liderar a igreja.

É interessante notar que no livro de Atos lemos a respeito de duas pessoas descritas como profetas, não deixando duvidas que haviam profetas após a morte de Jesus. (Veja Atos 15:32)

Mesmo durante a apostasia, indivíduos cheios de fé podiam se comunicar com Deus para receber orientação para sua própria vida, mas somente um verdadeiro profeta, chamado por Deus, poderia ser capaz de falar para toda a igreja. E Deus disse que Ele não se comunicaria de nenhuma outra maneira, por isso se acreditamos que os profetas não mais existam significa dizer de Deus fechou permanentemente a porta e jogou a chave fora. Se isso procede a religião Cristã esta impossibilitada dos meios de resolver os debates doutrinários que a dividiram através dos séculos em vários ramos distintos e de receber conforto e orientação espiritual. Isso simplesmente não faz nenhum sentido se considerarmos o Deus bondoso e amoroso que prometeu preparar-nos para a Segunda Vinda da mesma maneira que nos preparou para a Primeira.

Joao, o Batista e mesmo Jesus tiveram que enfrentar esse pensamento de que não havia mais profetas. Os judeus disseram a Jesus que os profetas estavam todos mortos, portanto como Ele poderia ser um profeta (veja João 8). Eles preferiam acreditar que Ele fosse um profeta antigo que havia retornado a terra. Parecia mais confortável acreditar que Moises ou Elias retornaram do que lidar com o fato de haver um novo profeta, e hoje encontramos a mesma atitude. As pessoas parecem ser um pouco receosas com a idéia de um profeta falar para os nossos dias, por que não poderiam dar as usuais desculpas que as questões ensinadas são ultrapassadas ou não se aplicam ao nosso tempo.

É claro que nem todos que declaram ser um profeta verdadeiramente o são. Somente Deus pode chamar um profeta e a Bíblia fornece muitas maneiras de avaliar se uma pessoa é realmente um profeta:

Então disse Elias ao povo: “Só eu fiquei por profeta do SENHOR, e os profetas de Baal são quatrocentos e cinquenta homens.” (1 Reis 18:22). Elias deixou muito claro que nem todos os que dizem serem profetas o são. Provavelmente existiram falsos profetas desde o inicio dos tempos. É claro, que hoje, o problema não é quem é o profeta do Senhor, mas se existe algum. Mas ainda é importante avaliar esse tópico. Como saber se alguém é ou não um profeta verdadeiro do Senhor?

O livro de Deuteronômio no Velho Testamento nos diz como reconhecer um verdadeiro profeta. Esses versículos fazem menção a Jesus Cristo, mas o critério para reconhecer um profeta pode ser aplicada também a todos os outros profetas. Nesses versículos, o Senhor explica como diferenciar os profetas verdadeiros dos falsos. Ao lê-los pense nos profetas do Velho Testamento que você já estudou a respeito e veja se eles preenchem esses requisitos:

O SENHOR teu Deus te levantará um profeta do meio de ti, de teus irmãos, como eu; a ele ouvireis;

Conforme a tudo o que pediste ao SENHOR teu Deus em Horebe, no dia da assembléia, dizendo: Não ouvirei mais a voz do SENHOR teu Deus, nem mais verei este grande fogo, para que não morra.

Então o SENHOR me disse: Falaram bem naquilo que disseram.

Eis lhes suscitarei um profeta do meio de seus irmãos, como tu, e porei as minhas palavras na sua boca, e ele lhes falará tudo o que eu lhe ordenar.

E será que qualquer que não ouvir as minhas palavras, que ele falar em meu nome, eu o requererei dele.

Porém o profeta que tiver a presunção de falar alguma palavra em meu nome, que eu não lhe tenha mandado falar, ou o que falar em nome de outros deuses, esse profeta morrerá.

E, se disseres no teu coração: Como conhecerei a palavra que o SENHOR não falou?

Quando o profeta falar em nome do SENHOR, e essa palavra não se cumprir, nem suceder assim; esta é palavra que o SENHOR não falou; com soberba a falou aquele profeta; não tenhas temor dele.

(Deuteronômio 18:15-22)

O que esses versículos ensinam na maneira de como identificar um profeta? Primeiro, o profeta vira do povo e será como eles. Vemos que isso acontece com todos os profetas bíblicos e também com todos os profetas Mórmons. Deus também nos prometeu que alguém que for chamado como profeta mentir a respeito de uma profecia ele ira morrer. Esse é um dos princípios que os Mórmons são sempre ensinados – que Deus não permitira que um profeta decaido continue pregando. E finalmente devemos verificar para saber se o que um profeta disse realmente acontecera. É verdade que muitas das profecias não vem com uma data de validade. Noé pregou durante um longo período, a respeito do diluvio muito antes de ele acontecer. O nascimento de Jesus Cristo foi profetizado desde o inicio dos tempos, e muitas gerações se passaram sem verem o cumprimento.

Em um exemplo moderno, Joseph Smith nos deu a revelação da Palavra de Sabedoria. Conhecido também como o código de saúde mórmon, que proíbe a ingestão de chá preto, café, álcool e tabaco. Além disso, encoraja as pessoas a comerem grãos, frutas e vegetais e fazer uso prudente da carne. Esse não era a dieta alimentar das pessoas do século 19, quando viveu Joseph. De fato, recentemente é que descobrimos os malefícios do tabaco. Hoje, comemos grãos, frutas e vegetais porque os especialistas nos aconselham a ingeri-los. Poderia um jovem fazendeiro, com escarça educação formal saber mais a respeito de nutrição e tabaco do que os especialistas de nossa época? Estudos científicos confirmaram o que os Mórmons vivem mais e com mais saúde do que a maioria das pessoas se eles vivem na totalidade a lei da Palavra de Sabedoria, mesmo quando outros fatores são eliminados. Precisamos estar atentos se os ensinamentos dos profetas se mostraram verdadeiros ao longo do tempo.

Jesus nos preparou para que uma linha de profetas continuasse a existir depois de Sua morte e o retorno deles depois da apostasia. As razoes para que Ele explicasse que deveríamos ter cuidado com os falsos profetas é porque haveria também verdadeiros. Ele nunca disse que não haveria mais profetas, mas tomou do Seu tempo para nos ensinar a reconhecer os verdadeiros.

Talvez a prova cabal de que Jesus não pretendia ser o ultimo profeta é encontrada em Efésios 4. Novamente, vem de Paulo, um fervoroso defensor da revelação continua.

E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores,

Querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo;

Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo,

Para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente. (Efésios 4:11-14)

Paulo explica que os profetas foram dados aos santos para o seu aperfeiçoamento e que os profetas continuariam a ser chamados até que tivéssemos uma unidade de fé. Como podemos ver ao nosso redor, o mundo ainda não atingiu essa unidade e por isso os profetas ainda são necessários para esclarecer a doutrina, que é regularmente discutida e alterada de acordo com os desejos dos homens desprezando os ensinamentos de Deus.

É por isso que os Mórmons não tem nenhum problema em aceitar que Deus, que nos ama, esta feliz em prover um profeta para nós, como prometeu que faria, para nos guiar através dos desafios dos Últimos Dias.

Copyright © 2019 Thomas S. Monson. Todos os direitos reservados.
Esta página web não pertence nem é afiliada a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (algumas vezes também chamada de Igreja Mórmon ou Igreja SUD). Os pontos de vista expressos pelos usuários são de responsabilidade dos mesmos e não representam necessariamente a posição da Igreja. Para acessar os sites oficiais da Igreja visite: LDS.org ou Mormon.org.

Pin It on Pinterest

Share This

Share This

Share this post with your friends!